Vereadores pedem agilidade na construção do sistema de captação alternativa de água

Um requerimento assinado por 14 vereadores foi entregue à Fundação Renova pedindo para que a entidade, criada para implementar e gerir os programas de reparação, restauração e reconstrução das regiões impactadas pelo rompimento da barragem da mineradora Samarco, conclua em até um ano o meio o sistema de captação alternativa  de água em Valadares.  O documento foi lido no Plenário da Câmara Municipal no fim da Audiência Pública para discutir a qualidade da água do Rio Doce consumida na cidade.
“A população de Valadares já foi bastante penalizada com essa tragédia ambiental e esperar por mais três anos para que essa captação alternativa aconteça é muito tempo”, desabafou o presidente da Câmara Municipal, o vereador Paulinho Costa. O parlamentar solicitou ainda que o Diretor Geral do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE), Alcyr Nascimento, forneça informações referentes à implantação da Estação de Tratamento de Água (ETA) para o bairro Santa Rita e cópia de todos os laudos periciais da água do Rio Doce. “Também pedi que o SAAE que apresente um cronograma detalhado dos investimentos para o tratamento de esgoto e da recuperação da bacia do Rio Doce”, disse Paulinho Costa.
Durante a Audiência Pública, representantes da Fundação Renova apresentaram os programas de recuperação de nascentes e da mata ciliar na bacia do Rio Doce e também mostraram resultados de amostras da qualidade da água do Rio Doce. Um cronograma das obras de captação alternativa, feito no Rio Corrente, distante 40 quilômetros de Valadares, também foi apresentado.  A previsão é de que o projeto executivo das obras fique pronto até dezembro deste ano. Os investimentos somam cerca de R$ 64 milhões e incluem a construção de Estações de Tratamento de Esgoto (ETEs) e a melhoria/ampliação das Estações de Tratamento de Água (ETAs).